Shantala

12899861_10208781854565411_1195099936_n

A massagem é uma possibilidade de encontro entre quem toca e quem é tocado. É a transmissão de amor, força e confiança . E seu  maior benefício talvez seja estreitar os laços entre o bebê e seu cuidador, seja a mãe, o pai, avós ou outras pessoas que estarão com ele durante seus primeiros meses de vida. Esse contato vai criando um novo entendimento, uma outra forma de comunicação e de escuta. Uma forma de nutrição também.

A técnica não é difícil e é importante conhecê-la. Mas o que vai se pedir aqui é uma disponibilidade para esse contato e a intenção sincera de acompanhar as demandas individuais de cada bebê. Por vezes algumas adaptações terão de ser feitas, já que o trabalho energético não pode ficar engessado e ser imposto aos pequeninos, mas é importante que se confie na sabedoria e potência dessa tradição.

A massagem também alivia desconfortos intestinais como gases e cólicas, melhora shantal lucasa qualidade da respiração pelo estímulo da expansão torácica e descongestionamento dos canais de energia e o uso dos óleos vegetais ajuda na nutrição do bebê. Um bebê relaxado e tranquilo dorme melhor o que favorece o seu crescimento, desenvolvimento e fortalecimento do sistema imunológico.

A prática de massagear os bebês na Índia faz parte da  cultura e recebe o nome de Abhyanga Kumara.  Abhyanga significa oleação nos pontos Marma (pontos específicos no corpo que serão tocados com o óleo) e Kumara significa criança.

Essa técnica foi trazida para o Ocidente na década de 60 pelo obstetra francês Frédérick Leboyer. Em viagem pela Índia, teve a oportunidade de observar uma mãe fazendo massagem em seu bebê e os acompanhou  por alguns dias, o que lhe produziu grande encantamento. A sintonia entre eles, o silêncio e o amor envolvidos. O nome dessa mulher era Shantala e Leboyer quis homenageá-la.

curso shantala

Anúncios